Reflexões

A sua rede vai te salvar!

Era começo de 2015 e eu estava começando a trabalhar com um novo público que até então desconhecia, o RH. Em outros trabalhos na área de vendas já era costume ser ignorado e muitas vezes perder negociações por motivos que nunca eram falados. Ao começar a visitar as pessoas que cuidam de pessoas, me deparei com um novo mundo. Sim, eu era ouvido e isso (sem eu saber) nortearia o meu futuro como profissional e empreendedor.

Comecei a estudar sobre o assunto Gestão de Pessoas, lia diariamente informações sobre a área e me matriculei em um curso gratuito onde aprendi muito sobre o tema. Mas ainda sentia que faltava algo, faltava conhecer na prática o que eu estava aprendendo em diversas fontes e neste momento veio a ideia:

Nada melhor do que aprender com quem faz!

Assim, em cada visita que fazia, eu absorvia o máximo de conteúdo que podia e me encantava com aquelas pessoas que além de buscar melhorar o negócio, também se preocupavam em melhorar as pessoas. Resolvi que criaria um grupo no Whatsapp para facilitar a divulgação do que vendia na época e assim conseguir vender mais facilmente.

Me enganei!

Aos poucos fui percebendo que quanto mais pessoas participavam do grupo, menos elas se interessavam em comprar algo e mais elas queriam tirar dúvidas e entender como era o trabalho das outras pessoas das empresas que ali estavam. Sem perceber eu estava ajudando a alimentar uma rede de pessoas realmente interessadas em aprender e ensinar. É claro que com algumas regras simples de boa convivência, a rede foi se tornando cada vez mais relevante e importante para quem participava.

veja-5-atitudes-de-pessoas-que-estao-sempre-aprendendo

 

 

 

 

 

 

 

 

Fui identificando quem estava apenas pedindo ou tentando vender algo e com o consenso de todos, fui elaborando uma política que privilegiasse a troca de ideias, a ajuda e a entrega. Uma outra preocupação minha era a de não aceitar qualquer pessoa e sim aquelas que realmente estavam dispostas a entregar o seu conhecimento e dedicação, assim o grupo foi aumentando aos poucos através de um bate-papo rápido com quem estava querendo entrar para entender se fazia sentido para o grupo aquele novo integrante e vice-versa.

Se a pessoa realmente se interessava pelo assunto Gestão de Pessoas e gostava de ajudar, tinha acesso à rede e logo se enturmava com os outros integrantes para aumentar o nível de qualidade e ajuda na rede.

Logo após a minha escolha de empreender no começo de 2017, depois de ter fundado a rede de RH há mais de dois anos, comecei a entender a força de uma rede com um propósito em comum. Eu estava focando em desenvolver novos produtos, aprendendo e fazendo campanhas de marketing como todo mundo fala que tem que ser e ao mesmo tempo não me dava conta de que já tinha próximo de mim pessoas que acreditavam no que eu fazia. E assim comecei a conversar com essas pessoas e encontrei nelas um apoio e atenção que nenhuma teoria do melhor programa de marketing poderia me ensinar. Em outras palavras, eu estava vivenciando na prática sentimentos de: empatia, confiança, apoio e orgulho das pessoas que sempre estiveram ao meu lado.

Eu não precisava tentar vender nada, porque quando ligava para alguém que já confiava em mim, a conversa era focada em como um poderia ajudar o outro.

E assim, de conversa em conversa comecei a me conectar mais com as pessoas da minha rede, organizei eventos onde o foco era a troca de ideias com um tema em comum e a arrecadação de verba para um projeto social por encontro. Além disso, uma das consequências positivas foi começar a ser chamado para dar palestras nas empresas da rede sobre Felicidade e Propósito no Trabalho, receber pedidos de conselho e orientação, ser indicado para outras empresas pelo trabalho que exerço e perceber que a minha opinião influencia as pessoas da minha rede, assim como as opiniões delas também me influenciam.

Hoje acredito que o melhor jeito de conseguir ter sucesso no que faço, além de me dedicar todos os dias no que acredito, é estar sempre disposto a ajudar as pessoas que estão próximas de mim.

E pensar que tudo isso começou quando pela primeira vez me senti ouvido por pessoas que trabalham ouvindo e ajudando outras pessoas para que o trabalho delas signifique algo a mais do que o contracheque no final do mês.

Dedico esse artigo a todas as pessoas que me ajudam a evoluir e ser um ser humano melhor todos os dias!

40304190_227365298122873_6654740856634867712_n

Francisco Dalsenter é fundador da Happynn, Coach Positivo, Consultor e Palestrante. Acredita que o sucesso é construído através da ajuda mútua de pessoas que tem um propósito em comum.

Quer conhecer mais do que fazemos? Youtube – Instagram – Facebook

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s